9 de out de 2011

Personalidade no traço e no desenho - um quesito fundamental!

Pessoal, boas!

Uma palavra rápida...

Um assunto que tem me intrigado muito ultimamente diz respeito à questão de se ter personalidade nos traços e no estilo de desenhar.

Acho interessante é que esta nova geração de artistas-desenhistas , principalmente de HQ's, apesar de desenharem muito e arrebentarem no traço, e muitos deles já estarem até trabalhando no mercado nacional ( alguns tmb no internacional ) não terem lá muita personalidade nos desenhos.





Calma, eu explico!

Conan - John Buscema
Para quem se liga ou se ligava em comic's (histórias em quadrinhos) vai entender o que estou dizendo ( espero ) - artistas do porte de Frank Miller, John Buscema, John Byrne, Paul Gulacy entre outros, marcaram época com linhas arrojadas e modernas, em desenhos que surpreendiam a cada quadrinho e a cada capa desenhada.

O estilo de um jamais se confundia com o do outro e vice-versa - quem já leu a saga do Demolidor com a Electra, desenhada por Frank Miller sabe do que estou falando, ou mesmo a 'epopéia' dos X-Men com o "Clube do Inferno", "Fênix Negra" e "Proteus" do John Byrne, ou mesmo a "Espada Selvagem de Conan" ilustrada por John Buscema ou mesmo o "Mestre do Kung Fu" do grande Paul Gulacy (só pra citar alguns ) entre tantos?
X Men - John Byrne

Hoje ainda temos desenhistas de traços notáveis e inconfundíveis - é só sacar na seção 'Mestres do Desenho' aqui do blog para ter uma noção do que digo.

O que é chato é que uma enxurrada de ótimos desenhistas tem chegado ao mercado todos os dias mas todos com o mesmo estilo, o mesmo traço, o mesmo sombreado etc etc etc etc - não vou citar nomes, mas uma rápida pesquisa no Google pode comprovar o fato. Parecem que calcam sua arte em cima da arte um dos outros, ou mesmo de seus professores ou ídolos - coisa normal quando se está começando mas depois torna-se algo pobre, mesmo com todas as técnicas adquiridas.
Mestre do Kung Fu - Paul Gulacy

Cacilda!! - Essa turma adquiriu o domínio do traço mas não conseguiu ( pelo menos ainda ) desenvolver um estilo próprio, que carregue a sua 'marca' indelével de desenhista para que as pessoas possam dizer :

"_Olha que massa, quem fez foi o tchubiduba - tá na cara que foi ele... ahh, não disse? Olha o nome dele aquiiiiii!!"

Personalidade artística é muito importante, seria tal qual uma "impressão digital" autoral e artística.

Demolidor - Frank Miller - saca o hachurado
cru, sem dó nem piedade - isso sim, é estilo!
Isso me remete à música com um pequeno exemplo - quando, em meados da década de de 80 apareceu o Van Halem e todas as suas piruetas técnicas guitarrísticas ou mesmo o irriquieto Yngwie Malmsteen - guitarristas excepcionais que influenciaram ( e ainda influenciam ) gerações , mas o resultado disso foi uma enxurrada de "clones" - tocam tão bem quanto seus ídolos mas sem nenhuma personalidade ( com algumas poucas exceções, claro ) Isso só para citar dois exemplos rápidos.

Falo essas coisas não porque eu tenha 'chegado lá' ,   ou já adquirido o meu estilo inconfundível etc e tal, mas falo como admirador da arte, como todos. 

E personalidade no traço é algo que eu persigo tenazmente, como eu mesmo já falei aqui no blog, mas um dia chego lá!
E creio que todos os que se dedicam à arte em geral devem fazer o mesmo, sejam iniciantes ou mesmo veteranos, seja lá qual for o estilo de desenho também - não se esqueçam!
Espero que os fãs mais aguerridos destes artistas ( os quais não falei os nomes ) não fiquem chateados a ponto de arvorar a bandeira do ódio contra mim, porque o que mais me aborrece são 'fanboyzices' desarrazoadas... Haja saco!
É só o ponto de vista de um admirador incorrigível de tudo o que se chama arte. ;)

Grande abraço . =D

Licença Creative Commons

14 comentários:

  1. Eu concordo completamente. Quando olhamos pros anos 80 pra trás, não só nos quadrinhos, mas também em todos os cantos da arte, a gente consegue identificar cada artista através do traço, voz, estilo de pintura, sonoridade, tema, estilo de escrita etc etc etc. Se desviarmos nossa atenção pros anos 90 em diante, quase não encontramos personalidade na arte, só se ve cópia de Jim Lee, Frank Cho, coisa e tal.
    Creio que o problema é fruto de professores sistematicamente cegos combinado ao fanatismo dos próprios estudantes.

    ResponderExcluir
  2. Falou em alto e bom som hehe
    Li certa vez, numa entrevista com o Mozart Couto, que ele disse que uma época o Ed Benes teve que se 'mikedeodatizar' por conta da editora e dos trabalhos que ela encomendou na época - putz, isso sim é que é sacanagem!
    Verdade - as vezes o admirador/aspirante/desenhista é tão fanático que termina inconscientemente ficando igual ao "ídolo" gerando um 'clone' que desenha bem mas que não tem "molho" nenhum... chato isso.
    Abração, Thompson!! =D

    ResponderExcluir
  3. Como vai Betto! Tudo certo! Espero que tudo bem com você!

    Olha, eu acho que muita coisa que nós brasileiros fazemos está inevitávelmente ligado à cultura estadunidense. E, agora fica difícil retirar das influências incutída nos baby boomers, geração X, e geração Y, àquilo que viram em suas épocas. Aproveito para o convidar para exprimir alguma de suas ideias textuais no RsD - assim que quiser. Tá aí o link:

    http://bit.ly/oUTH8M

    acesse a interface de autores do site Realizando Seus Desenhos.com

    Beleza de texto "Personalidade no traço e no desenho - um quesito fundamental!"

    Até mais...

    ResponderExcluir
  4. Opa, Edson, tudo beleza? =D
    É verdade, há uma influência muito grande da cultura americana em nossa cultura.
    Valeu por me visitar e muito obrigado pelo convite - será uma honra postar no RsD!!
    Grande abraço!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá desculpe invadir seu blog, rss é que sou uma mãe preocupada com o futuro de um filho, ele é autista/asperger não sei se vc já ouviu falar dessa síndrome, pois é, desde cedo ele desenha e hoje com 16 anos os traços ficaram incríveis, coleciono muita coisa do que ele desenhava nesses anos e em emio a descoberta do autismo, pude descobrir esse talento dele, pra resumir gostaria que visitasse nosso blog e se possível entrasse em contato comigo, pois o motivo de eu me comunicar com profissionais como vc é saber onde posso encontrar apoio pra esse talento dele, ele impressiona desde os 3 anos, um artista e acho que o Brasil não valoriza artistas como vcs.Agradeço a atenção e passarei os endereços para explicar um pouco da nossa história.Obrigada e felicidades.

    ResponderExcluir
  6. Fico feliz com sua visita e volte sempre que precisar. =D
    Com relação a desenho e arte e inserção no mercado de trabalho, especificamente neste mercado de trabalho, infelizmente não sei responder. Eu desenho, mas não profissionalmente, pois há muito tempo me desiludi em buscar uma vaga nesse meio tão concorrido ( já me rotularam de covarde etc mas pelas entrevistas que leio de gente 'de peso', que trabalha na área há anos e sabe das dificuldades da profissão, vejo que é melhor ficar onde estou mesmo ).
    O ideal era a senhora entrar em contato com artistas reconhecidamente profissionais pois eles poderiam orientá-la melhor por já estarem no ramo há anos.Visitarei o blog sim, pode deixar.
    Grande abraço e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  7. Betto, meu amigo, você "desmanchou a gaiola" finalmente. É isso aí!
    Eu tenho saudades, por incrível que pareca dos traços de Sal e john bucena, Mark Silvestri (meu irmão é demais), Rick Leonardi entre outros. De fato, acho que os quadrinhos tem muita tecnologia mas mudou muito neste contexto.
    Abraço, Bettão!

    ResponderExcluir
  8. Grande Alexandre, tudo beleza?
    É verdade, o que as editoras querem mesmo é vender, não que isso seja errado mas a turma anda muito padronizada, muito igual e isso é chato demais.
    Esses que vc mencionou , Leonardi e Silvestri, eu ainda não conhecia mas entrarão futuramente para a seção dos mestres do desenho hehe valeu
    Abração, meu nobre! A Paz.

    ResponderExcluir
  9. Wooooow! Falow tudo meu caro amigo Betto, ta bagunçado mesmo.E ha muito tempo deixei de colecionar quadrinhos devido a essa banalizaçao da arte.Caiu a qualidade do papel e da arte.Ate quando isso vai...?
    Abraço meu brother.Fica com Deus .

    ResponderExcluir
  10. hehehe eu tmb - faz tempo que não compro nada ( mais de uma década ) - a turma anda desenhando muito mas todo mundo parece xerocar um do outro!
    Abração , meu nobre!
    Sucesso e fique com Deus. =D

    ResponderExcluir
  11. Colecionei quadrinhos em meados dos anos 90, a qualidade caiu muito e o valor subiu, passei a comprar quadrinhos em sebos pra pegar histórias dos anos 80 (muito melhores por sinal), até que parei de vez. Concordo plenamente com o que você falou, os desenhistas foram ficando cada vez mais sem estilo próprio. Também não acho que eu tenha chegado a esse nível mas estou buscando isso que acho essencial em um artista/desenhista, personalidade.
    Um abraço! Gostei do post!

    ResponderExcluir
  12. Falou tudo, Fabrício. Fico feliz que tenha gostado do post.
    Teu blog é excelente e seus trabalhos também. Já sou seguidor heeh
    Abração

    ResponderExcluir
  13. Essa matéria merece ser aplaudida de pé, acho que uma categoria que não sofre com isso é a dos cartunistas. Tem cartunista que conhece toda a lógica de desenho. Passo a passo, mas no fim prefere fazer aquelas linhas sinuosas e os desenhos que mais parecem esboços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diego, muito obrigado pela força e pelo elogio. Você acredita que ainda tem gente que não entende isso? Fazer o quê...?
      Volte sempre que quiser e valeu por acompanhar o blog.
      Grande abraço! =D

      Excluir

.Comentários neste blog são moderados, portanto não serão mais aceitos:
_comentários anônimos
_sem relação com o post;
_contendo links de PROPAGANDA de outros blogs ou qualquer tipo, com o pretexto de comentário ;
_conteúdo ofensivo e imbecilidades;

Este tipo de conteúdo será sumariamente deletado.