26 de jun de 2019

Ilustração Infantil - A Arte da Alma

Boas, pessoal.

Desta vez trago-vos algo que me marcou pela  vida inteira, e muito mais ainda em minha infância, pois sendo leitor-devorador de gibis, almanaques e revistas diversas esse estilo de arte sempre me seduziu , seja por sua beleza suave, seja por seus traços propositalmente muitas vezes imprecisos , seja pela coloração ( em uma época onde nem se cogitavam os "Corel's" da vida ) etc etc - refiro-me ao mundo de sonhos da Ilustração Infanto-juvenil uma forma de expressar a arte que vem do fundo da alma.


Quando me refiro à ilustracao infanto-juvenil pretendo ater-me, neste momento, às encontradas nos livros ou revistas, sejam didáticos ou não ( não sei se há imprecisão nesta expressão, sei lá...) como auxiliar da abstração da mente, ajudando o jovem leitor a imergir no universo do tema da publicação.
Uma revista que foi minha companheira de leitura durante anos, por exemplo, foi a revista Recreio, na década de 80, que era um primor de beleza editorial e onde eu tive meu primeiro contato com aqueles óleos, aquelas aquarelas magistrais etc.

Um clássico ilustrado por seu próprio
autor
Um ponto a ser ressaltado é a não-convencionalidade da ilustração infanto-juvenil, ou seja,  de como passar a idéia exposta na literatura através de rabiscos, explosões de cores, personagens esguios e surreais que fogem do modo 'comercial' já conhecido das publicações de bancas de revistas, não desmerecendo nenhuma delas - cresci com quase todas, afinal, sou  muito grato a homens como Carl Barks, Maurício de Souza, Ely Barbosa e tantos outros  !!!


Pretendo somente riscar a superfície deste assunto, que, por ser tão vasto, por ter tantos artistas fabulosos demais, por ser tão imensamente bonito, a tarefa de debulhá-lo a fundo vai depender de seu interesse pelo tema proposto. Não abordarei técnicas nem materiais até porque a expressão do artista é quem vai dizer qual melhor material para seu próprio estilo. Óleo, aquarela, guache, acrílico, pintura digital ( hoje em dia ) etc etc são os mais utilizados.


Confesso que demorei a fazer esta postagem por considerá-la grande demais, por isso, abordarei alguns artistas apenas. São muitos, tanto nacionais quanto internacionais, e não tenho condições de enumerá-los aqui, mas deixo meus sinceros aplausos a todos eles, que de uma forma ou de outra participaram, participam e continuarão participando de nossa formação como cidadãos. Sim, a arte é também uma forma de educar - educar pela beleza, educar pelo pensar, pelo refletir.
Peço perdão a estes profissionais por não conseguir elencar TODOS aqui neste humilde endereço virtual e agradecê-los por nos brindar com sua genialidade.

Convido você, dileto leitor, a acompanhar-me por estas terras oníricas numa viagem "psicodélicamente" pueril.
Como sempre friso, não pretendo esgotar o assunto - na verdade estarei apenas raspando levemente na superfície - mas ser um ponto de partida para quem ( ainda ) não tinha interesse, não conhecia ou mesmo nunca reparou na singeleza e poesia presente neste tipo de arte.
Espero conseguir meu intento... =)


Peço aos queridos autores que, caso haja alguma incorreção em alguma das informações, me corrijam, ok?





André Neves




Comecemos pelo pernambucano mais gaúcho deste Brasilzão - André Neves!! ( André, me corrija se eu estiver errado )
Reside atualmente em Porto Alegre, escritor e ilustrador, premiado com o "prêmio Luiz Jardim" 2001, menção honrosa como escritor no "Prêmio Jabuti" e prêmio "Açorianos" de melhor ilustração. Seus desenhos são de uma leveza e beleza ímpares. Agradeço o André por me permitir postar sobre ele aqui no Ponto Difusor. Obrigado, André, muito sucesso para você nesta estrada de sonhos...







Visite-o para conhecer mais sobre seu trabalho, vida, livros e publicações:
Contato
E-mail: confabulagem@gmail.com



Dirceu Veiga

Ilustrador desde 1996, na editora e gráfica Expoente em Curitiba-PR, passou por várias editoras e agências e hoje conta com estúdio próprio desde 2000, tendo prestado trabalho para Moderna , FTD, Editora Brasil e muitas outras. Sua arte vai além da ilustração infantil, sendo um excelente caricaturista, passando pelo desenho tradicional e criador da exclusiva técnica de pintura com café, denominada Coffe Art, a qual achei fabulosa ( ainda mais eu , um "cafeólatra" de primeira hehe )
Agradeço também ao Dirceu por gentilmente me permitir expor um pouco de seus trabalhos neste blog, valeu Dirceu, e muito sucesso para você neste mundo onírico!!!!!





coffe art Dirceu Veiga

coffe art Dirceu Veiga
Contato 
WhatsApp: (41) 987872255

Saiba mais sobre Dirceu Veiga , seus trabalhos e seu Curso de Desenho Online






Catarina Sobral


É uma ilustradora portuguesa , com certeza!!!! De terras lusitanas tenho o prazer de


apresentar-vos o lindo trabalho de Catarina Sobral.
Nascida em Coimbra, Portugal (1985), formada em Design Gráfico, Ilustração é também escritora de livros infanto-juvenis , tendo executado trabalhos para diversas editoras. E vai além: diretora de animação (curta-metragem de animação chamado Razão entre dois volumes , que foi indicado ao Prêmio Nacional de Animação de 2018; Sophia, melhor curta de animação 2019) diretora de arte e escritora de uma peça teatral para crianças chamada Impossível, e muito mais!!!
Realmente um portfólio invejável. Talento não lhe falta - sem dúvidas! Agradeço a gentileza de também me permitir postar um pouco de você e seu talento nesta 'casa' brasileira. Muito sucesso sempre !!!!





Para conhecer mais sobre Catarina Sobral e seus trabalhos:
http://catarinasobral.com/  (site oficial )


Para quem gostou do tema, além de recomendar conhecer mais sobre os autores citados, recomendo também a leitura destes links para uma ampliação desse conhecimento.



Finalizo com um muito obrigado de coração aos artistas profissionais que tão gentilmente me permitiram o uso de suas imagens. Outros autores foram contactados mas infelizmente não obtive resposta.

Grande abraço , pessoal.
 Espero que tenham gostado - se puder, deixe seu comentário!!

14 de mai de 2019

Doodle Art - a Arte dos Rabiscos Aleatórios

Ola, pessoal, boas, tudo beleza?

Depois de um tempo sumido por conta da correria do dia a dia, resolvi dar as caras neste meu humilde endereço virtual para apresentar uma forma de arte que vem ganhando adeptos já há algum tempo mundo afora designada de Doodle Art;

Segundo nossa amiga , a Wikipedia, o termo deriva-se da expressão tolo, bobo, simplorio e consiste de rabiscos desinteressados e aleatorios feitos ao acaso, tal qual os desenhos sobrepostos que encontramos em cadernos de alunos aborrecidos em sala de aula, Na verdade, todos já passamos por essa fase, seja na sala de aula, rabiscando ao  falar  no telefone etc

Interessante notar que o nivel de expressividade e detalhismo de muitas dessas artes ( e agora refiro-me àqueles que se dedicam a esta forma de arte a nivel artistico ) chega a ser absurdo, resultando em expressões da alma de uma forma sublime e surpreendente. Como bem diz o título de um site que li esta semana - O sentimento traduzido em formas. Parabéns ao autor que tão perspicazmente captou a mensagem da Doodle Art.

Você, dileto leitor, pode também se expressar e especializar nesta forma de arte. Geralmente os Doodles se caracterizam por sobreposições de imagens, formas, personagens sem estar apegado a um tema único ou que faça algum sentido ou que tenha necessidade ou não de ter algum sentido, praticamente uma forma de abstração. Existem livros que até ensinam passos básicos para isso.
O céu é o limite.

Um bom exemplo é o Doodle que aparece ao se instalar o app Whatsapp, é a primeira tela de boas vindas do app.

A seguir apresento-vos alguns trabalhos extremamente expressivos de um artista que conheci zapeando pela net, claro que há outros, mas este em particular, pela estética e plasticidade de seus trabalhos chamou-me a atenção;

Kerby Rosanes
https://kerbyrosanes.com/






A seguir alguns belíssimos Doodles que catei na net, não consegui achar o nome dos autores. Se algum desses Doodles for de sua autoria, entre em contato para que eu possa creditá-lo, ok?








Para conhecer mais
https://doodleart.redbull.com/pt-br/bra/
http://www.doodle-art-alley.com/free-coloring-pages.html
http://www.doodleartworkshop.com/

Pesquisem à vontade.
Espero que tenham gostado

Forte abraço do Beto

18 de ago de 2018

Desenho Artístico - Reencontrando o passado de 30 anos

Pessoal, boas.
Tive uma grata e excelente surpresa quando, esta semana, recebi de um amigo de longa data algo que eu mesmo havia feito há exatos 30 anos - trata-se de uma capa de um álbum da banda Judas Priest, chamado Ram It Down, lançado em 1988. Eu contava então com 14 anos de idade =P

Na época fiquei fissurado pelo desenho e resolvi pintá-lo em uma camisa preta de malha comum
, só não fiz o título e o nome da banda porque seriam mais trabalhosos. Essa prática foi muito comum na minha turma e eu fiz inúmeras pinturas, tanto para mim quanto encomendadas.
O resultado agradou, e mesmo tendo-a usado mais de um ano recebi uma proposta para vendê-la mesmo assim.

A camisa não existe mais mas o registro, feito em tinta para tecido Acrilex perdura ainda hoje, cuidadosamente costurada em uma jaqueta jeans do referido amigo.

O meu muito obrigado ao Delson Dantas da Rocha por ter guardado esta raridade que me encheu de nostalgia pela nossa juventude maloqueira em BJ City kkkk.

Grande abraço, brother!!!!!!




14 de jun de 2017

Copião ou Criador - qual deles você é? Uma pequena reflexão

Trago-vos hoje uma meditação nada transcendental sobre desenho e afins. Coisas que tenho matutado, pensado, ruminado e finalmente, depois de muito mastigado, resolvi compartilhar nestas terras digitais. Corro o perigo de uma simples postagem como esta desentranhar rancores por mexer com brios que eu nem imagino que existam, mas tenho direito à opinião, portanto...

Desenho é uma habilidade que tanto pode ser inata ( você nasceu com ela, tem facilidade com ela ) ou pode ser adquirida, aprendida, com muita dedicação e esforço de praticação ( a habilidade inata também precisa de 'lapidação', tem que ser moldada, estudada e  praticada. )
Como uma habilidade MOTORA, que exige coordenação acima de tudo, tenho-a comparado a outra forma de arte, notadamente a música. Não vou nem mencionar a palavra DOM porque , daí, a turma vai achar que nem deste planeta não é, ou que nasceu um degrau acima da raça humana.

Claro: uma auditiva e outra visual mas daí podem surgir dúvidas sobre o que uma coisa tem a ver com a outra. Em uma análise bem crua, poderíamos dizer que tem muito em comum pois ambas
requerem muito estudo, muita dedicação e  prática constante para uma ótima ou excelente execução.
Ambas também podem ser inatas ou aprendidas. Citei a música mas poderia ter citado qualquer forma de arte, mas a escolha se deve por conta de eu ser músico amador também.

Obviamente o produto final será totalmente diferente, mas em essência o caminho percorrido foi extremamente parecido ou quase o mesmo.
Agora surge um 'pulo do gato' no processo que - aí sim - "transcende' realmente a coisa toda e isso foge do alcance de muitos, o ingrediente cabal chamado CRIATIVIDADE - e isso, amigos, é real e inequivocamente para poucos. Ou se tem ou não se tem!!! Simples assim, preto no branco. Rejeito totalmente a palavra DOM, mais uma vez. Criatividade tem muito a ver com a forma como se pensa o que outros não pensaram, a forma de ver aquilo que outros não viram etc

Tenho, para mim , a Criatividade como o elemento catalisador que aliado ao talento ( na qualidade de agente impulsionador da criatividade. De que adianta um carro sem rodas, só para fazer uma comparação nada ortodoxa? ) formam a "mistura" de muitos sonhos chamados à 'existência' real neste mundo ( sim, porque eles só existiam na mente de seus criadores ) travestido das muitas formas nas quais a ARTE se apresenta: desenho, pintura, música, artesanato, escultura, literatura etc etc

Aí chegamos no cerne da questão da postagem - somos copiões talentosos ou grandes criadores?
Confesso que me enquadro no primeiro grupo - tenho habilidade com desenho, o qual faço desde os 3 anos de idade e ainda apanho com muita coisa referente a ele, por preguiça e falta de treino - mas do segundo grupo estou a milhas de distância - não sou nada criador, tenho idéias e devaneios muito loucos de grandes imagens mas ( ainda ) não consigo passar pro papel, faltam-me os meios necessários para isso ( muito, muito mais estudo, dedicação e treino,treino, treino. Não posso dizer que não tenho referencial porque disso a net está abarrotada ).
Bernie Wrightson - isso sim é criatividade, talento
e arte indiscutíveis

Na minha caminhada tenho visto ( e ouvido ) muitos desenhistas e músicos bons realmente mas que não passam de copiões - sabem reproduzir muito bem o que veêm ou ouvem, as vezes dão até uma floreada legal para temperar mais a obra, mas quando se trata de CRIAR, tirar da cachola, dar forma e vida a algo realmente impressionante e autoral, são mais secos e estéreis que o deserto do Atacama, no Chile.

A habilidade lhes conferem arrogância e um certo status, certa posiçãozinha medíocre que não vai muito longe e a qual se agarram tenazmente quando surge um rival à altura ( na maioria das vezes outro copião ). e tem cada copiãozinho ruim pra cacete por aí, mas como vão além dos simples ''palitinhos equilibrados'' ganham certa notoriedade capenga por causa disso. Brasileiro é bicho puxa-saco...

Já passei por esse tipo de situação e sinceramente foi chato pra caramba, porque notei que o outro se sentiu meio que ameaçado em seu confortável nicho ( notadamente de bajuladores e quando se trata disso, os copiões são extremamente egoístas ).
Sou um eterno admirador da arte, me derreto escancaradamente diante de algo bem feito mesmo que simples, mas carregado de significado e beleza e não dou atenção àquilo que está mal feito - sou muito sincero quanto a isso. Nesse ponto é legal quando um 'Copião' se depara com um 'Criador', porque a tendência é deixar o pobre 'Copião' comendo poeira, muita poeira, como no antológico desenho do Papa-Léguas. Aí a frustração é iminente e patente - contra fatos não há argumentos.

Leinil Francis Yu - fantástico
Claro que a classe dos Criadores também tem suas mazelas, notadamente a atitude " Sou melhor que todos" e se isso servir de consolo ou explicação, pelo menos são mentes que criam, que somam, que trazem à luz algo que antes não passava de onírico.

Portanto, meu caro leitor, evolua, passe de 'Copião' para 'Criador', nos presenteie com obras genuínas, autorais, que embora pareçam simples à primeira vista, pode ser algo de raro e belo valor. A arte precisa disso, não de ''máquinas de Xerox'' ambulantes - algumas muito boas e outras cheias de bugs ( não desprezo o chamado ''desenho realista'' e ele decerto tem o seu valor, mas embora se possa ver todo o potencial arrasador do desenhista nos mais mínimos detalhes, eu acho pouca graça por ser quase uma fotocópia do original, bacana, bonito mas para mim, não empolga nem um  pouco. Para quem gosta e baba em cima dessa forma de arte , tudo bem, tá valendo ).

Demizu Posuka - grande artista oriental
Como eu havia comparado a musica e o desenho como formas de arte com finais totalmente diferentes mas com processos similares, outro ponto que chama a atenção é o fato de que todo músico tem sua fase de copião também, muitas vezes executando músicas de grandes autores com muita desenvoltura e até floreando-as muito bem mas que se não evoluirem não passarão de copiões talentosos que vivem de ruminar o que já existe e que foi criado por artistas de valor. Então não há nada de errado em ser um copião, um copiador, essa fase do seu aprendizado é necessária e fundamental e formará o seu cabedal de conhecimentos artísticos, tudo vale para somar - só não fique parado na caminhada, esse é o ponto chave.

 Sei que a estrada é árdua, ter SEU estilo próprio é um somatório de tudo que já foi assimilado, mas isso é realmente necessário, pois só assim - opinião minha - eu creio que possamos autointitularmos como ARTISTAS com muito orgulho ( mas sem arrogância , por favor. )

Abraço deste humilde colega desenhista.

4 de fev de 2017

Arte de Rua - Street Art (2)

Pessoal, boas!!

Ando meio sumido do blog por conta da correria nossa do dia a dia, mas aí vai uma arte que eu jamais poderia deixar passar.

Não sei o nome do artista e quem souber me avise para que eu lhe dê os devidos créditos - esta foto foi tirada quando eu passava de ônibus pelo centro do Recife, em frente ao famoso cais de Santa Rita.

Descobri o nome do artista num post do Diario de Pernambuco:"É assim que trabalha o artista português Alexandre Farto, conhecido como Vhils. A técnica utilizada por ele nas artes, que buscam o "invisível" em meio ao caos das cidades, também foge aos tradicionalismos. A pespectiva e o sombreamento são trabalhados por meio de escavações milimetricamente calculadas na parede e se misturam à pintura stencil. "Primeiro fazemos a marcação com tinta e depois pintamos a parede. Nas áreas intermediárias fazemos intervenções (como corte ou alto relevo) e a gente joga o negro. Desse jeito vamos criando a escultura", afirmou.

http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/viver/2014/11/19/internas_viver,543906/artista-faz-rosto-gigante-de-professora-em-predio-do-recife.shtml

É um desses tantos prédios velhos que abundam pela cidade e o artista utilizou-se da própria erosão do reboco da fachada para compor o rosto de uma mulher.
Interessante é que muitos poderão achar tratar-se de uma foto editada, já que a net é pródiga em disseminar tudo que é tipo de mentaira, mas garanto-lhes que não. Uma próxima vez gravo um vídeo, ficará bacana.

Detalhe - se olharmos atentamente, veremos até o efeito de brilho nos olhos da modelo desconhecida, efeito esse conseguido aproveitando-se a luminosidade natural do dia ( só vi algo parecido no famoso Monte Rushmore com os bustos dos primeiros presidentes americanos, o artista usou o mesmo artifício )

É parar, olhar, apreciar e dar os parabéns a este nosso artista anônimo, porque fazer uma arte desse porte, desse tamanho e ainda estar perfeita em relação à proporção não é para qualquer um.





Simplesmente fantástico.

Abraço do Betto.