23 de fev de 2014

O delírio da moderna produção de HQ's nacionais de baixa qualidade

Cabe inicialmente uma pergunta antes do post propriamente dito: qual a razão de ser deste texto?

Tenho navegado na net muito ultimamente e tido contato com todo tipo de gente e algo que me assombra é o grau de mediocridade de muitos supostos desenhistas e artistas em geral, que geralmente nada tem a oferecer mas agem como profissionais do ramo. Diante de tanta pavonice insuportável eu tinha que tecer meu ponto de vista sobre o tema.

Logicamente aquilo que tem QUALIDADE REAL produzido no Brasil não se encaixa neste post, portanto, quem lê entenda direito a minha perspectiva e evite o 'analfabetismo funcional', por favor.

No Brasil, há um sonho megalômano de se ganhar projeção e dinheiro com HQ's de qualidade nacional, e isso tem se tornado algo altamente questionável ultimamente, tendo em vista a "qualidade" desse trabalho..

Mas creio firmemente que isso está muito longe de acontecer, talvez num futuro remoto, onde haja um pouco mais de decência, inteligência e autenticidade neste mercado ( uso este termo com cuidado, porque entendo que a palavra MERCADO sugere algo ativo, produtivo, ágil, lucrativo, competitivo e outras qualidades. )

Quero deixar bem claro que admiro muito e respeito os "medalhões" - os verdadeiros artistas renomados do cenário nacional que sempre foram injustiçados tanto por editores safados, corruptos e mercenários quanto pelo público em geral que esnoba a verdadeira arte nacional. Esses veteranos que têm tirado 'leite de pedra' nesse contexto e alguns dos quais fazem parte da minha galeria de 'Mestres do Desenho' daqui do blog. E respeito o trabalho de pessoas simples também, que querem melhorar e trabalham arduamente pra isso, sem subir em pedestal nenhum.

Exceções honrosas à parte, o que acontece nesse mercado underground, nessa subcultura copiada e plagiada descaradamente do mercado americano ( não vou falar do mercado europeu, até porque a turminha por aí só se apega à Marvel e DC, respectivamente ) é de uma pobreza constrangedora...

Uma rápida olhada na net já basta pra entender o que estou dizendo ( pra quem quiser entender melhor leia este artigo meu, com relação aos heróis nacionais ) : personagens paupérrimos, pífios, sem graça, que mais parecem saidos de uma escola de samba e completamente deslocados da realidade cultural brasileira.

E isso é só a ponta do iceberg - se formos falar em roteiro, criação de boas histórias, aí a coisa pega pra valer mesmo: não há criatividade, cultura ou autenticidade. Piores que filmes B... da Ásia.

Falei há pouco que se tratava de algo 'underground', e entende-se, segundo a definição da Wikipedia:

"...uma expressão usada para designar um ambiente cultural que foge dos padrões comerciais, dos modismos e que está fora da mídia. Também conhecido como Cultura Underground ou Movimento Underground, para designar toda produção cultural com estas características, ou Cena Underground, usado para nomear a produção de cultura underground em um determinado período e local."

Realmente há "qualidades"que se encaixam nesse cenário : está fora do padrão comercial e da mídia em geral por ser extremamente pobre, embora tenha se tornado um modismo forte hoje em dia , ainda mais com o advento da internet, que torna possível uma divulgação mais rápida, fácil e quase de graça, e dos filmes da Marvel.
É de DOER na vista...

O sonho de ser integrado ao mercado quadrinístico ( diga-se americano, de passagem... ), de ser reconhecido, exaltado, lembrado, mencionado etc é algo latente nessa turma - ninguém quer viver nas vielas do esquecimento e da obscuridade a vida toda, mas infelizmente, e para muita gente, falta muito estofo pra se chegar lá. Se já é difícil pra pessoas honestas, imaginem para os desonestos?

Porque arte é uma coisa que se está "na cara", visível a olho nú ( desculpem-me o trocadilho ) e é algo aberto ao escrutínio e julgamento público, já que ninguém cria somente para si e há o desejo natural de se compartilhar aquilo que foi criado.

Embora existam indivíduos pela net afora que fazem um 'parrá-pá-pá' medonho das porcarias que eles mesmos criam, com muita pompa e uma ínfima aparência de elegância e qualidade, mas são somentes 'latas vazias', porque a bem da verdade -  lata vazia faz um barulho danado, concordam? E nessa batalha de trombetas quem sai ferido de verdade são nossos olhos e nossa dignidade, já que acham que todo mundo é burro e não sabe distinguir um vira-lata sarnento de um tubarão, talvez para os míopes sim, que veêm um lixo mas acham que estão diante de um Rembrandt...

Falta de talento é pouco para determinados indivíduos!

O engraçado é que criam-se eventos que quase ninguém viu, inaugurações que quase ninguém foi, HQs que quase ninguém compra e personagens que praticamente ninguém conhece... mais pobreza que isso impossível.

Há lixo no mercado editorial gringo? Sim, certamente e o pior é que vende. E como vende!!!!!!

Mas isso só é possível porque já se criou um arcabouço, uma base de qualidade no passado e que depois  o público vai engolindo sem questionar, mesmo sendo ruim hoje, como acontece em festas onde se serve a melhor bebida primeiro e as ruins por último.

O problema daqui é que quer servir-se o que não presta primeiro, e por se tratar de uma coisa tão abjeta só quem aguenta são os que não possuem senso crítico nenhum, que na verdade são uma minoria, já que ( ainda bem ) essa tal produção não tem alcance nacional...

Desenhos de má qualidade, disformes em matéria de anatomia, isentos de perspectivas corretas e roteiros estapafúrdios, sem pé nem cabeça são os itens imprescindíveis que compõem essa salada indigesta. As vezes - em alguns poucos casos - creio que caberia até mesmo uma análise psiquiátrica, porque tem gente que tem certeza que o que ela produz é digna de nota.

Meu conselho?

Apostem primeiro no estudo sério da arte em geral, na produção de qualidade, nutram-se de muita cultura, pensem com criatividade e sejam decentes, honestos, e acima de tudo humildes. Evitem copiar, para não dizer plagiar, porque isso é coisa de gente canalha sem princípio ético ou moral nenhum - e depois não adianta reclamar da corrupção e roubalheira da nossa politicalha já que inúmeros cidadãos deste Brasil varonil fazem o mesmo, em menor escala, como bem diz o ditado " Tanto faz um real ou um milhão de reais, o ladrão é o mesmo".

Depois voltem para conversarmos.

Ainda pretendo falar de outra praga - mais sutil: a prepotência da classe dos desenhistas, onde muitos se julgam um degrau acima da raça humanam por acharem possuir habilidades quase" divinas" , mas isso ficará para outro post.





5 comentários:

  1. Excelente, Betto, falou tudo e muito mais sobre essa modinha que existe atualmente e também da queda (de ladeira a baixo) da qualidade no mercado de Hqs.

    Parabéns. !!!

    ResponderExcluir
  2. Depois que li esse texto lembrei de um filme em que você também receberá o mesmo título após circular essa postagem: INIMIGO DO ESTADO!!!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, brother, seus comentários são sempre bem vindos a esta humilde casa hehehhe
      Abraço
      ( inimigo do estado, é? kkkkkkkkkkkkkkk )

      Excluir
  3. Como sempre um ótimo artigo... continue protegendo a verdadeira arte...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Santos, andou sumido, amigo =D.
      Agradeço pela visita e pela força, você é sempre muito bem vindo aqui nesta casa virtual. Obrigado por ter gostado do texto. Um grande abraço e uma semana abençoada pra você e sua família.

      Excluir

.Comentários neste blog são moderados, portanto não serão mais aceitos:
_comentários anônimos
_sem relação com o post;
_contendo links de PROPAGANDA de outros blogs ou qualquer tipo, com o pretexto de comentário ;
_conteúdo ofensivo e imbecilidades;

Este tipo de conteúdo será sumariamente deletado.